Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 31 de março de 2010

De Momentos de Vida - Ensaio a cegueira

Pelas minhas "incursões" à procura de blogs ou post's interessantes, encontrei mais um. Vem mesmo de acordo com um texto escrito por mim há poucos dias:


Estou a tua disposição senhor, de joelhos em frente da tua vontade, é só dares qualquer sinal de fumaça que me apaixono. Ainda bem que não queres. Ainda bem que (ainda) tens juizo.

http://momentos-de-vida.blogspot.com/2010/03/ensaio-cegueira.html

Uma por dia



terça-feira, 30 de março de 2010

O jogo

Estava ela empoleirada em cima da bancada para poder chegar ao armário que do chão não chegaria. Vestida com saia e por baixo desta umas lindas cuecas daquelas que fazem sobressair o ponto fulcral. Eu por baixo ficava com uma visão digna de uivar. Uivei sim para dentro e o meu pénis para fora. Ajudei-a a descer e ela ajudou-me a fazer descer o lobinho, lindo! Tirei-lhe a saia, as cuecas, ficou só com a bata, até parecia uma enfermeira. Apalpei-lhe as mamas, a racha, lambia-a, ela lambeu-me, pu-la no chão, introduzi-lhe o diabo no inferno, incêndiámo-nos e pronto.

Peguei nas cuecas dela, soutien, blusa e saia, fui-me embora. Deixei-a só com a bata para poder ir para casa, instruindo-a que quando voltasse ao apartamento não a queria voltar a ver.

No dia seguinte, lá me apareceu ela da mesma forma que tínhamos combinado, ela ir para casa só de bata. Aqueles olhos cor de rola, um pouco sardenta, uhau, com uma expressão de maravilhada pela excitação e humilhação de andar com o corpo solto em plena rua, pronta para novo assalto, e que assalto foi...

Uma por dia


segunda-feira, 29 de março de 2010

Quero amar-te

Sempre que olho para ti perco-me na imensidão do teu ser, não te quero amar, quero amar-te! Chamo-te querida porque o és, não te quero amar, quero amar-te! Crias-me ginetes de tesão, não te quero amar, quero amar-te! Angustio-me com a tua angustia, não te quero amar, quero amar-te! Levo-te a jantar, não porque te amo, porque quero amar-te! Fazes-me ciúmes e não tenho, por não te amar mas, quero amar-te! Desligas-te mas eu quero-te, não porque te ame, sim porque quero amar-te! Não, não te amo! Se te amasse não gostava de ti e fazer-te-ia minha prisioneira de mimos cruéis, tirava-te a alma e teu ser deixava de ser imenso, reduzido à imagem dos meus olhos. Por ti sinto muito mais que amor, sinto a palavra ainda não inventada, enquanto espero, posso-te dizer que quero amar-te.

Uma por dia

sábado, 27 de março de 2010

sexta-feira, 26 de março de 2010

quinta-feira, 25 de março de 2010

Assistência em viagem

- Está lá!? é da assistência em viagem?
- Sim, que tipo de assistência precisa? - perguntou a senhora com voz melada gulosa de alguma coisa.
Aquela voz, neste início de Primavera, época de desabrochar a flor, desabrochou-me o mangalho deixando-me uns segundos em silêncio.
- Bem, eu preciso que alguém me ajude a aliviar, desculpe, a reparar a roda do carro, enfiei-a no buraco.
- Enfiou o quê? - perguntou a senhora com tom malicioso.
- A roda num buraco e estraguei-a!
- Então e o senhor não tem uma suplente?
- Ter tenho, não tenho é macaco!
- Não tem macaco?
Aquela pergunta levou-me para outro cenário mais idílico e respondi:
- Ajude-me por favor, está levantado e não quer baixar!
Após um breve silêncio:
- Fique descansado que lhe enviaremos alguém para solucionar o seu macaco, desculpe, o seu problema.

Não demorou que chegasse alguém e..., mas, mas, mas, o que é isto!?





- Boa tarde - disse ela com um sorriso atrevido.
- Boa tarde - num misto alucinado com maravilhado, com aquela expressão em que as mulheres dizem: "olha para aquilo, parece um anormal"
- Então temos aqui um problema de macaco - sempre com aquele sorriso malicioso - encravou?
- Não, quer dizer, sim, não baixa!
- Isso vejo eu, o melhor é levá-lo comigo para a oficina.
No caminho ainda comentava comigo próprio: "Meu Deu, isto é o Éden?"
Chegados à oficina



comecei a transpirar.
- Então teve um problema com um buraco e o seu macaco não deu conta do recado não foi? - perguntou-me a mecânica com um sorriso de quem vai dar um tratamento no assunto - não fique nervoso que o seu macaco, o seu carro irá ficar como quem fica de sorriso de orelha a orelha, vou-lhe pôr as mãos e vai ver!
- Vai? - perguntei eu meio atrapalhado, como se estivesse num flirt e na hora de me despir me lembrasse que tinha as cuecas rotas.
Ela levantou o carro com um macaco muito maior que o meu, pôs-lhe as mãos, untou a peça de encaixe e os respectivos buracos para lubrificar e melhor enroscar. De quando em vez olhava para mim com um sorriso e um à-vontade de quem sabe do assunto, sentia-se que não era nenhuma novata no que fazia.
- Pronto, está tratado! Agora só falta uns preliminares de acabamento ali com a minha colega.



- Acompanha-me? - perguntou a experimentadora da qualidade das mãos, quer dizer, do trabalho da mecânica.
- Sim, sim, claro!
- Não tenha medo, prometo que vou ser suave e não meto a fundo o acelerador.
Eu sentei-me, ela sentou-se em cima do condutor, do banco do condutor, pôs-me a mão na chave, aqueceu-me um pouco o motor, agarrou-me a manete, engrenou-a e, pôs-me o carro em movimento. Aquilo é que foi deslizar com um movimento delicioso e ritmado, sem interrupções hesitantes e uma coordenação de pôr qualquer um feliz de tanto prazer.

Retornamos ao ponto de partida, eu satisfeito com o trabalho produzido, ela feliz por eu ter ficado satisfeito. Despedi-me delas, paguei, agradeci o tratamento e, fui acompanhado pela relações públicas da oficina que me disse:
- Quando estiver aflito, não hesite, volte sempre!

Não foram precisos muitos metros, vi um buraco e enfiei-me nele. Peguei no telefone e...

Trimmmmmmmmmmmm, acordei todo transpirado, MALDITO DESPERTADOR!

Uma por dia



quarta-feira, 24 de março de 2010

A rapidinha


Cheguei-lhe as mãos às pernas, fui subindo, ascendi a saia com a subida, cheguei às cuecas, arranquei-as, estavam molhadas de tesão. Encostei-me teso, as nádegas abriram-se para dar passagem à pichota, o rego estava quente e intumescido. Meti-lhe o dedo do toma na greta, gemeu; "Hãããmmm", a língua no ouvido; silvou "fffffff", a cova da outra mão num mamilo; desesperou "dá-me, dá-me, dá-me". E eu dei-lhe a foda com estocadas rápidas e profundas fazendo com que as minhas bolas dançassem a um ritmo frenético. "Sim, sim, sim..., vem, vem, vem", e eu "hã, hã, hã", e ela "ai, ai, ai, AIIIIIIIIIIIIIIIIII", e eu "hã, hã, hã, HÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃ".

Uma por dia


terça-feira, 23 de março de 2010

segunda-feira, 22 de março de 2010

domingo, 21 de março de 2010

sábado, 20 de março de 2010

sexta-feira, 19 de março de 2010

Allumeuse - Pedro Barroso

Para quem duvida que a língua portuguesa não é charmosa e erótica!
Muitas mulheres, porventura, vão achar esta música um pouco machista e, acharem-se mais uma vez, objecto do homem.
Eu, como homem, não sinto isso. Sinto sim, desejo por elas e entrega a elas.

Uma por dia

quinta-feira, 18 de março de 2010

quarta-feira, 17 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

Diamante e Grafite

O elemento químico do diamante e grafite é o mesmo. O que dá o corpo de diamante ou grafite é a estrutura desse elemento isto é, a forma como está disposto o elemento.

Ora, nas imagens seguintes, por analogia, chamaria às personagens "elemento químico", cuja estrutura está disposta de forma diferente e, cujo resultado vou legendar:


Diamante



Grafite

Uma por dia

segunda-feira, 15 de março de 2010

SMS

Senti o pé. Não pode ser! Será? Que bom! Há tanto tempo que não a sentia luxuriante e, ainda por cima, atrevida. Humm, voltamos aos velhos tempos ousados em que não se escolhia local para fazer disparar o gatilho do desejo. Ele era sair da rota da estrada, à pressa, num trilho mais ou menos adequado. Ele era na casa de banho do cinema a meio dum filme. Ele era num beco escuro depois de sair do bar ou discoteca. Ele era…, uau, chi, daquela vez que uns caminhantes nos viram no meio duma moita e, simpáticos, alteraram o percurso para não nos incomodarem.

Saímos do restaurante e despedimo-nos do casal nosso amigo. A caminho de casa, durante o trajecto, enquanto conduzia, pus-lhe a mão no joelho. Ela abriu discretamente as pernas em sinal de aprovação para que continuasse. Continuei, subi e, estava sem as cuecas. Parece que tenho a minha mulher de volta! Caramba! Como ela está diferente! Já estava a ficar maluco e frustrado com a ausência da libido dela, mas parece que tudo está a mudar radicalmente, acho que vou ter que parar o carro antes de chegar a casa, quero dar-lhe uma foda!

Querida, quero que vás à casa de banho, tires as cuecas e as deixes debaixo da mesa”. Meu marido ficou deliciosamente louco. Molhei-me toda só de ler a mensagem. Como eu me sinto viva! Fez-me lembrar a adolescência sonhadora com rapazes, sem ainda os ter provado. Fez-me fixar o indicador confidente desses sonhos, com a diferença de junto a ele existir a prótese do matrimónio, o que tornou esse momento ainda mais excitante. Fui, tirei o empecilho das cuecas e atirei-as como ordenado. Afinal ainda sou protagonista das suas fantasias.

- Quero-te gaja boa!
- E eu a ti chaval louco!
- O teu pé estava guloso por baixo da mesa.
- Tu és o culpado, excitaste-me!
- Ainda consigo? Não fiz nada de especial!
- Maluuuuco! Olha como me deixaste…, toda molhada. Trouxeste as minhas cuecas?
- Cuecas? Quais…

Bip, bipadoramos as tuas cuecas”.

Uma por dia

domingo, 14 de março de 2010

sábado, 13 de março de 2010

sexta-feira, 12 de março de 2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

quarta-feira, 10 de março de 2010

terça-feira, 9 de março de 2010

segunda-feira, 8 de março de 2010

Oito de Março do ano dois mil e dez depois de Cristo

O que é que eu posso dizer das mulheres? O que digo e penso todos os dias: Fazem-me falta!

Gosto das mulheres, gosto de mulheres, preciso das mulheres, preciso de mulheres!

Um grande beijo para todas vós, não por ser dia da mulher, sim por ser mais um dia convosco.

Fusões




Uma por dia

Mulheres todos os dias,
mas hoje em especial,
com carinho!

domingo, 7 de março de 2010

sábado, 6 de março de 2010

sexta-feira, 5 de março de 2010

quinta-feira, 4 de março de 2010

De Delitos e Delícias

Todos os adultos já foram adolescentes - descoberta da sexualidade com culpas e medos, angustias, paixões, amores assolapados, sonhos, tesões com fantasias e amantes fantasma, cinco dedos a estrangular um e anelares exploradores - foram coisas que todos mais ou menos fizeram e com elas se formaram homens e mulheres que adquiriram mais ou menos mais valias na intimidade de hoje. Talvez nem todos passassem por experiências deste conto delicioso mas, que é um facto da vida não há duvidas.


Conheça Pedro

2hs 15 min. de um domingo à tarde, Pedro acordou sobressaltado com a campainha do celular, era um sms contendo o seguinte texto: “adorei a noite ontem bj”.

Mulheres, tão fácil de agradá-las...

Passara a noite anterior com a remetente do sms, fez tudo como manda o manual a fim de tornar o sexo – seu único objetivo com ela – uma conseqüência. Parecia muito simples seguir seu manual à risca, aprendeu com a própria experiência que mulheres não são complicadas, apenas querem ser sentir amadas e, sobretudo, respeitadas.

Bastava dar um pouco de atenção, fingir - na maioria das vezes era verdade - se importar com os sentimentos dela, levar pra jantar em um bom restaurante, abrir a porta do carro para ela, puxar a cadeira, engatar uma conversa pseudo-intelectual, elogiá-la bastante (reparar em detalhes como a cor do esmalte ou o novo corte de cabelo), pagar a conta (se ela quiser dividir, insistir e pagar a totalidade)... E pronto!Sempre funciona.

Sem esquecer-se de ligar – muitas vezes elas se apressam - no dia seguinte, claro. Assim, nosso dom Juan pós-moderno garante mais uma opção para o seu cardápio, dentre as várias.

Pedro, não era Almodóvar, mas entendia a alma feminina como poucos. Cresceu rodeado delas, o pai trabalhava viajando e passava a maior parte do tempo acompanhado da mãe, avó e das duas irmãs. Foi dentro de casa, observando todo o esforço da mãe para se dedicar ao trabalho, educar os filhos, agradar ao marido – quando ele estava em casa – e cuidar da beleza que aprendeu a admirar o sexo feminino.

O adolescente Pedro era gordo, desengonçado, não praticava esportes, cheio de espinhas, vivia afundado em livros, viciado em jogo eletrônicos, poucos amigos (igualmente nerds como ele), tirava as melhores notas da turma, usava óculos e aos 17 anos, nunca tinha beijado.

Certo dia, a garota mais bonita da sala pediu para conversar em particular com ele quando todos tivessem saído da sala de aula. A sós, ela sentou no colo de Pedro, com as pernas abertas, encarou-o de maneira provocante e sussurrou ao pé do ouvido dele:

- Você me acha bonita?

- Si-si-si-sim. Disse o nervoso jovem, mal conseguindo pronunciar a palavra.

- Você faria tudo o que eu quisesse?

Ele balançou a cabeça afirmativamente. Nervoso, o coração disparou com a proximidade com uma mulher nunca antes experimentada. O calor daquele corpo cheio de curvilíneo, os braços em volta do pescoço dele, os seios comprimindo seu peito e a proximidade dos sexos fez o garoto ter uma ereção.

- Me passa as repostas da prova amanhã?Eu não tive tempo de estudar.

Ela deu um beijo rápido nele e saiu sem dizer mais nada. No dia seguinte, ele deu todas as respostas da prova pra ela como prometeu. Mas foi completamente ignorado pela garota nos dias subseqüentes. Fui usado, mas chegará o dia que eu vou usar todas as mulheres que eu quiser.

A partir daí, viu que as mulheres também podem ser manipuladoras

http://delitosedelicias.blogspot.com/2010/03/conheca-pedro.html

Uma por dia



quarta-feira, 3 de março de 2010

Ousai

Quebrai rotinas, monotonias, sejais ousados. Arriscaria dizer todas mas, fico-me pelo quase todas as mulheres adoram que lhes façam surpresas e, quando essas surpresas se mesclam com exotismo, sensualidade, enaltecimento, carinho e outras delícias, o corpo delas torna-se um oceano de pontos erógenos. Por contágio, os homens navegam nesse prazer com ventos a favor.

Não acreditais?

Degustai este vídeo:
http://www.lustcinema.com/video/Handcuffs/




Uma por dia

terça-feira, 2 de março de 2010

Uma por dia

SIDA

O inimigo não deixa de ser irremediavelmente letal enquanto não se conseguir perceber as suas várias estratégias de ataque. E mesmo depois de as perceber, há que saber eliminar e ou travar o seu avanço. Até lá, há várias formas de evitar que o inimigo, neste caso SIDA, não nos incomode fisicamente. Para além das profilácticas, há as sexuais. Neste caso, há a abstinência (cruzes credo), monogamia (monótono para alguns) e o preservativo que é um bom adereço para quem precisa de testar vários futuros parceiros..., affairs e afins.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Gosto de posturas

Sondagem realizada de 01 a 28 de Fevereiro de 2010.
Obrigado a todos!

Embora sejam poucos votos e aplicando uma margem de erro de 20% , obtem-se, mesmo assim, 80% dos votos favoráveis à postura arisca.

Os resultados reais:

Como prefere a pessoa do sexo oposto?

Arisca 5 (100%)

Sossegada o (0%)

Votos apurados 5

Uma por dia

Seguidores

Pesquisar neste blogue

A minha foto
Sociais embora solitários, meigos e não piegas e, agressivos quando ameaçados. É este equilibrio que me fascina nos felídeos. Zoológicamente são a minha identificação. Considero os afectos humanos muito intrinsecados com a escolha do animal preferido...

Acha o seu género mais privilegiado que o oposto?

Relativamente ao sexo, para si, qual o primeiro sentido? (as opções encontram-se por ordem alfabética)

Como prefere a pessoa do sexo oposto?

Acha que todo o ser humano é potencial homossexual?