Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Tu e eu, felinos (parte II)

Parte I aqui: http://12345sentidos.blogspot.com/2010/09/tu-e-eu-felinos.html


Cinco batidas, não contei mais. Estava exausto. Cinco da manhã, pois bem, aquele sussurrar fez-me tesão, mais ainda com o que me ocorreu à cabeça. Apalpei-a, estava molhada de prazer e do desejo que a aflorava novamente. Os lábios vaginais estavam inchados, a minha mão a tocar-lhe fazia-a estremecer. Atei-lhe os tornozelos e ordenei-lhe que se roçasse em todo o meu corpo. Ao fazê-lo e a cada movimento tremia de gozo. O meu pénis começou por lhe tocar na boca, seguido do pescoço, seios, barriga, ventre, coxas e, ao chegar aos joelhos senti o odor íntimo e húmido de toda a sua tesão. Comecei por fornicá-la com o nariz em movimentos de cabeça como se estivesse a dizer sim. Sim era o que ela dizia com a investida. Quando o sim que ela proferia estava prestes a ser SIMMM, parei. Olhou para mim confusa, sorri-lhe, peguei-a ao colo com uma mão nas nádegas por entre as pernas e a outra por baixo do braço junto ao sovaco, abraçando-a pelas costas. Senti que se sentiu uma menina. Levei-a para a cozinha e, com a espátula de fazer omoletas lhe fui marcando as nádegas de cor rubi: zás…, zás…, zás… Fi-la vir-se de tal forma que se atirou como felina ao meu pénis, abocanhando-o com movimentos de língua como se estivesse a mastigá-lo.
Suados e confusos como quem tem falta de oxigénio no cérebro, adormecemos uma vez mais. De manhã acordei-a com um beijo terno e sussurrei-lhe ao ouvido: - Ainda não acabou!


Ao serviço do erotismo


No céu...


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Cópula


Tomo-te há milénios tua entrega consentida, sorvo-te como animal sedento da tua fome selvagem.

Undress me all!


Blanche


sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Tu e eu, felinos (parte I)


Estava encostado ao balcão do bar com olhar distraído. Ia pedir uma bebida, apetecia-me algo forte. Estava neura, daquelas que não se sabe porquê, daquelas que queremos encontrar motivos, mas não há. Com caraças, são as piores.

Ouvi um olá, rodei a cabeça à Trinitá, e vi um olhar, ou por outra, talvez quisesse ver um olhar atrevido.
- Olá - retribui eu - tu por cá?
- Sim, surpreendido?
- Sim, e comigo também.
- Contigo?
- Despertaste-me algo que não sei..., queres dançar?
Ela sorriu, como se me estivesse a lêr os pensamentos e aceitou.

Dançamos, rimos, enfim, envolvemo-nos numa química social que se foi transformando numa cumplicidade de afectos e pensamentos recíprocos. Bastava encontrar os nossos olhares.

Entrámos no carro e nem foi preciso o blá, blá, blá da praxe, para que um percebesse o que o outro queria. Envolvemo-nos em carícias orais e de tacto, coisa que nos foi aumentando o calor. As mãos dela percoreram-me o corpo como leoa, as minhas respondiam como macho dela.

Chegámos a casa dela. Assim que entrámos, encostei-me a ela por detrás, subi-lhe a saia e, com as mãos ávidas percorri-lhe o corpo, beijei-a no pescoço e senti um AHHH, que me aumentou a temperatura. Despi-a, ela despiu-me. Pegou-me no pénis, já duro, e de joelhos começou por lambê-lo como se de sorvete se tratasse, gemia lânguidamente como quem está a matar um vício, o prazer aumentava.

Pediu-me com o mesmo olhar erótico do encontro no bar, que a fodêsse. Resisti, e disse-lhe que não. Peguei-lhe na mão, deitei-a de costas, atei-lhe os punhos aos joelhos com lenços de seda de pôr ao pescoço, ficando em posição de quatro invertido e, amordacei-a com as minhas cuecas. Peguei num cinto e cinturiei-a nas coxas e rabo. O prazer aumentou, o dela ao ponto de se mijar, abanando a cabeça como se estivesse a dizer não, misturado com gemidos de prazer. Dos odores que ela libertou, não resisti e quis saboreá-los. Tirei-lhe a mordaça, lambi-a, mordisquei-a, passei-lhe os dedos na vagina sequiosa de tudo para lhe dár prazer, passei-lhe a ponta da língua no clitóris entermeando com chupões, que a fizeram contorcer-se com gritos barulhentos.

Tirei-lhe as amarras, deitei-a de barriga na costas do sofá e fodêmo-nos como cavalo e égua com cio, emitindo gritos e barulhos involuntários de prazer.

Adormecemos extasiados com a cama desfeita e os lençois manchados do nosso prazer. Mais tarde, sou acordado com a língua dela no meu ouvido, sussurrando de seguida: - quero mais.

Espera libidinosa


To the party


Au naturel


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Mulher


Auto-Estrada de emoções....................
Paradoxo do teu ser lúcido..................
Caminhos tortuosos eu percorro lívido
Prazerosas são as minha exaltações....

Formas sentidas


Leveza


Toma-me!


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

"Poliamas"

Não sabes, sabes e duvidas da dúvida. Tua culpa, culpas. Queres, mas também queres e sonhas sonhos acordados a dizer sim ao não. Achas-te só, acompanhada. Utopias o real e Realizas a fantasia.

LET'S GO TO PARTY!!!


Deixa comigo!


J'aime la campagne



sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Janis Joplin

Janis Joplin se fosse viva hoje, 2010, tinha 67 anos. Morreu em 1970 com 27 anos, vitima de overdose. Era senhora de uma voz forte e cheia de força com trabalhos do mesmo vigor. Divertida mas infeliz. Foi vitima dela própria ao abraçar uma causa de rebeldia em que ela acreditava demais. Curioso é que numa das canções mais divertidas, "Mercedes - Benz", percebe-se a sua tomada de consciência em relação ao mundo de mentira que a rodeava de perto.

Onde quer que estejas Janis, até breve!

bye bye baby
Janis little girl
maybe you to love somebody
your live not a summertime
you say: peace of my heart
in one night stand
where all is Loneliness
woman left lonely
you gave a cry baby





quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Electrocop - Education of a husband


Há homens que precisam e outros gostam. Sou homem, mas estou consciente que há muitos que mereciam só como castigo. E muitos devem estar a pensar: "Porventura tu és um deles", é possível mas isso não me tira o direito e dever de alertar que muitos de nós, homens, tratamos as mulheres como coisas. No entanto, há muitos homens, mais do que se possa imaginar, que adoram mulheres Altivas e Dominadoras.



Para quem não sabe, até existem comunidades que debatem e exploram esta forma de estar na vida. Uns mais a sério, outros menos. Uns mais como estilo de vida a tempo inteiro, denominado 24/7 (24 horas por dia, 7 dias por semana). Outros mais como jogo isto é, só em ocasiões e predisposições de ambiente erótico. Em qualquer das situações o objectivo é o prazer.

Rom rom


Pour toi!



Entrelaces


Relax


Paddle


Curvas


Seguidores

Pesquisar neste blogue

A minha foto
Sociais embora solitários, meigos e não piegas e, agressivos quando ameaçados. É este equilibrio que me fascina nos felídeos. Zoológicamente são a minha identificação. Considero os afectos humanos muito intrinsecados com a escolha do animal preferido...

Acha o seu género mais privilegiado que o oposto?

Relativamente ao sexo, para si, qual o primeiro sentido? (as opções encontram-se por ordem alfabética)

Como prefere a pessoa do sexo oposto?

Acha que todo o ser humano é potencial homossexual?